PRODUTOR

A Valedourado destina atenção especial à questão da captação da sua principal matéria-prima, o leite. Desta forma, a relação da Valedourado com seus fornecedores constitui ao longo do tempo um importante ativo intangível desta firma. É neste sentido que os nossos produtores reafirmam diariamente a fidelização com a empresa e como também a empresa para com os produtores.
 

Fábrica de Palmeira dos Índios - AL

1. Controle de qualidade de leite na fazenda  (instruções e orientações)

  • Higiene Pessoal
    Lavagem das mãos, unhas aparadas, roupas limpas, não fumar dentre outras;

  • Higiene de Equipamentos
    Ordenha mecânica e tanques de expansão;

  • Higiene de utensílios
    Latões, baldes, peneiras, filtros e outros;

  • Higiene de Ambiente
    Sala de ordenha e sala de tanques de resfriamento e leite.

2. Transporte coleta a granel

  • Tanques isotérmicos e conexões em aço inox, mangueiras atóxicas higienizadas antes e após as coletas de leite;

  • Análise de controle de qualidade na fazenda
    Teste de alizarol - verifica a estabilidade do leite.
    Temperatura - temperatura de coleta 4° C.

  • Coleta de amostras diariamente para análises
    Físico-químicas e microbiológicas a serem realizadas na indústria;

  • Coleta de amostras mensalmente a serem realizadas
    Análises de gordura, proteína, lactose, % EST,CCS no RBQL (Rede de Laboratório Brasileiro de Qualidade de Leite).

3. Parcerias e Inovações

  • Assistencia técnica junto ao produtor
    Orientações sobre manejo reprodutivo, controle sanitário das principais doenças e manejo nutricional;

  • Fornecimento de ração, sal mineral e medicamentos em geral ao custo inferior de mercado, proporcionando redução de custos de produção;

  • Palestras com empresas parceiras
    Tortuga e Semex voltadas para cadeia produtiva;

  • Projeto Balde Cheio, contribuindo com aumento de qualidade, produção leiteira e gerenciamento da atividade.

  • OBSERVAÇÃO: Os itens 1 e 2 são baseados na IN-51 (Instrução Normativa 51 do Ministério da Agricultura), que preenche os requisitos de obrigação para com os produtores.

4. Normativa 62 entra em vigor

  • O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento publicou no dia 30 de dezembro de 2011 a Instrução Normativa n° 62, alterando a IN n° 51 que contém as normas de produção e qualidade do leite.

  • A principal regra já começa a valer em 1º de janeiro de 2012, quando os produtores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste terão novos limites para Contagem Bacteriana Total (CBT) e Contagem de Células Somáticas (CCS). Atualmente, esses índices podem chegar a 750 mil/ml. Agora, a tolerância será de até 600 mil/ml. Já no Norte e Nordeste do país a mesma exigência valerá a partir de janeiro de 2013.

  • Implantação gradativa
    Os padrões estão em processo de implantação gradativa desde 2002, assumindo caráter compulsório em 2005. A Instrução Normativa nº 51/2002 previa uma redução do limite de Contagem Bacteriana Total (CBT) de 750 mil Unidades Formadoras de Colônias de Bactérias por mililitro, para 100 mil/ml, estabelecido para julho de 2011 e já prorrogado para janeiro de 2012. Na mesma data, a Contagem de Células Somáticas (CCS) passaria de 750 mil/ml para 400 mil/ml. A edição da norma passa a escalonar os prazos e limites para a redução de CBT e CCS até o ano de 2016.

  • Texto cedido pelo gerente de captação, Paulo Miranda.

Copyright 2009 - Valedourado Plus!
SAC 0800 979 5600 Fundação